domingo, 25 de novembro de 2012

BMW M3 'CRT'

Muito provavelmente, o expoente máximo do BMW M3. Equipado com o mesmo motor de 450cv da versão GTS, numa carroçaria de 4 portas.


'CRT' são as iniciais para 'Carbon Racing Technology', sendo o capot e os bancos dianteiros fabricados numa espécie de 'ninho de abelha' em carbono - o mesmo material desenvolvido para fabricar os painéis de carroçaria dos eléctricos i3 e i8. 
Este edição conta ainda com amortecedores do tipo 'coilover' reguláveis, silenciadores de escape em titânio, menor quantidade de material de isolamento acústico e sistema de travagem melhorado.

Em termos de condução?.... Brilhante!
Sente-se de imediato um aumento da firmeza no comportamento, resultado do endurecimento das suspensões, mas ainda assim, ajudado por um comportamento mais benigno da carroçaria '4 portas'. Resultado? Um comportamento mais 'neutro' do que na versão coupé, permitindo julgar com mais precisão os limites de aderência.

O motor é magnífico e a redução do material de isolamento acústico permite que o maravilhoso som de escape penetre no habitáculo de forma perfeita!

Apesar de que uma caixa manual não fosse propriamente uma má opção, não há queixas a apontar à caixa de dupla embraiagem DCT, rápida e imediata.
A conjugação dos assentos dianteiros(não reguláveis) em fibra de carbono com o volante em alcântara , dão-lhe aquele 'feel' especial mesmo quando a intenção é só 'deslizar' em ritmos tranquilos.

A BMW optou por só fabricar 67 CRT's (metade dos números da versão GTS), implicando que esta edição, em que todos os carros serão pintados num exclusivo 'Frozen Polar Silver', se torne num artigo de (quase) colecção.


(Tradução livre por Pedro Bastos, Fonte: www.evo.co.uk)

















Road trip ao Mónaco, 6ºdia... Nîmes - Aurignac

Deixamos para trás aquela que terá sido, talvez, a paragem menos interessante da nossa maravilhosa viagem e seguimos bem cedo em direcção a Carcassonne (património mundial pela Unesco), com um total de 357km para percorrer nesta 6º etapa de caminho.



A primitiva ocupação do sítio da cidadela de Carcassonne, no cruzamento do caminho entre Toulouse e Narbone e do que corre ao longo do Aude, remonta a povos Celtas, Galo-romanos e Visigodos. As fundações das suas casas e muralhas retratam com clareza essas sucessivas ondas civilizatórias.

Durante a Idade Média foi defendida por um imponente conjunto de fortificações, ficando circundada por uma dupla linha de muralhas, que ainda hoje pode ser vista, e representa o ápice da engenharia militar do século XIII. O traçado irregular de suas ruas estreitas contrasta com a magnificência das muralhas e do castelo guarnecido por 59 torres e barbacãs, poternas e portas.
Foi restaurada por Violet-le-Duc que lhe conferiu o atual aspecto.
Ao final do século XIX, o conjunto estava praticamente abandonado, quando foi redescoberto por turistas ingleses.

(Fonte: Wikipedia)



Hoje há o vidro duplo....antigamente era mais 'muralha dupla'...








Catedral dentro das muralhas


Lindíssimos vitrais...

Ainda dentro da catedral fomos surpreendidos por um som musical, suave mas muito profundo, que julgamos ser proveniente dos altifalantes.... mas não... o cavalheiro da foto, entretinha-se a tocar este curioso instrumento musical e, com uma acústica peculiar, só possível dentro deste tipo de edifício, devo-vos confessar que era dos sons mais encantadores que já ouvi!


video

Debaixo de uma valente chuvada, deixamos a lindíssima cidade de Carcassonne e encaminhamo-nos para Aurignac, onde uma paisagem campestre, repleta de um intenso misto de cores, desfilava diante dos nossos olhos.





Chegados à belíssima localidade de Aurignac, onde o tempo parecia correr muito devagar, encaminhamo-nos para o nosso Hotel ( http://www.booking.com/hotel/fr/saint-laurans.pt-pt.html?sid=b28087b42cfb66c504885be513609aeb;dcid=1;srfid=5f13da81261c51fbaa0ba7b7d55975396489dc24X1 ), onde uma espaçosa suite com 90m2 nos esperava.... em troco de Eur65,00 p/noite, c/pequeno almoço incluído)!


Vista exterior do Hotel St Laurans
Escadarias de acesso aos quartos


Bar/sala dos pequenos almoços
pequena esplanada...



Bons vinhos, só vos digo....
Algumas 'vistas' da nossa suite...



o silêncio reinava...
Os Alpes...

O Hotel é propriedade de uma família Holandesa, que cansados das suas atarefadas vidas de banca de investimento e publicidade em Amsterdão, decidiram remodelar este pequeno hotel, há pouco menos de 6 anos, tendo conseguido aliar um espaço carregado de charme a uma localidade, já de si, carregada de características tão singulares!
Não olharam a esforços para nos ser agradáveis e perante a sugestão de jantarmos pelo Hotel, nem tivemos coragem de recusar... e em boa hora o fizemos! ;-)

Na manhã seguinte, ainda houve tempo para um pequeno passeio pela vila...